Hator Systems nasce no home office para ajudar diversos negócios na adoção de trabalho remoto

0
23

A Hator Systems, empresa brasileira integradora de soluções para escritórios remotos, consolida suas operações.  A companhia, originária da experiência de profissionais da área de tecnologia da informação que trabalham no segmento há mais de 20 anos, opera no modelo home office, e seus executivos já vieram da cultura virtual antes mesmo do Coronavírus.

"A evolução nos modelos de negócios, com o impacto do ambiente externo, altera a forma com o que as companhias e as pessoas atuam e demonstram que a tecnologia em nuvem flexibiliza a implementação de novas formas de trabalho", diz Monica Lau, uma das sócias da empresa. De acordo com ela, além do mundo corporativo, os setores da Educação e Saúde igualmente têm muitos benefícios com o acesso remoto para aprimorarem e se adequarem ao "novo normal".

Apesar das discussões ao redor da educação no Brasil, a Hator Systems acredita que o modelo de aprendizagem a distância também será uma realidade para todo o setor de educação. "Temos informações de mercado que atestam que os grupos de educação no País estão em busca de acesso remoto para alunos, não somente para cursos de pós-graduação, mas também para educação primária e secundária", ressalta Monica. "As escolas particulares estão nos procurando para saber qual seria uma solução – além das gratuitas que, por vezes, não oferecem segurança – a ser implementada para seus alunos. Mesmo que voltemos para a situação normal de frequência escolar presencial, não deixa de ser uma solução de acompanhamento de aulas, mesmo para aqueles alunos que adoecem, não podem frequentar a escola fisicamente, mas podem estudar em casa com acesso. É uma solução inclusive em tempos de contágio".

A executiva destaca que as soluções para os novos modelos de tecnologia de escritório remoto podem ser adquiridas pelas empresas, até por pequenos negócios por um valor acessível. "Há sistemas que oferecem videochamadas e compartilhamento de arquivos por uma assinatura de R$ 129,00 por mês por usuário", informa Monica.

Na Saúde, a prática da telemedicina e o atendimento remoto já são realidade no dia a dia do setor nesses tempos de pandemia.  "Imagina aquela situação em que é dificílimo para um paciente se locomover até o consultório médico, por quaisquer motivos. A consulta remota, além de poder adiantar a situação do paciente, pode escalar os atendimentos até aqueles que possuem problemas de logística e com uma orientação médica para casos não urgentes, sendo possível tratá-los a distância, inclusive com receitas digitais", completa Monica.

No comércio, o aumento da procura e as novas formas de logística para delivery estimularam a adoção da solução de comunicação remota, colocando o cliente e o fornecedor em contato de modo mais rápido.  "Na pandemia, talvez alguns tipos de comércio podem assegurar seu faturamento, fazendo atendimento remoto e depois utilizar o serviço de logística das empresas presentes no mercado. Por exemplo, um cliente necessita de um produto e sabe que existe uma loja de bairro.  Entra em contato com ela pelo site da loja, clica num botão e pode falar com o atendimento como se estivesse conversando pessoalmente, evitando o contato físico e tendo sua necessidade atendida", finaliza Monica.

A empresa opera no Brasil e também está iniciando suas operações em Portugal.  A Hator Systems é certificada nas soluções: LogMeIn, Microsoft Teams e Zoom. As licenças também podem ser adquiridas diretamente do site da empresa.

Deixe seu comentário