Engineering leva inteligência de dados para a indústria láctea

1
12

A indústria láctea é um terreno fértil e desafiador para a inovação. Somado ao cenário de consumidores e produtores rurais cada vez mais informados e conectados, a Engineering, companhia global de Tecnologia da Informação e Consultoria especializada em Transformação Digital, apresenta sua proposta para apoiar a jornada digital do setor de ponta a ponta.

Com uma iniciativa denominada Digital Milk – Inteligência de Dados ao seu favor, a Engineering quer ir além do fornecimento de soluções empacotadas. Isso porque, segundo James Cisnandes Júnior, head de Agribussiness da companhia, as indústrias apresentam diferentes necessidades e estágios de maturidade digital. Logo, demandam um mapeamento minucioso de seus processos para evoluir a gestão sob a ótica Data-Driven, ou seja, processos orientados a dados, e que sejam de acordo com as necessidades do negócio e do segmento.

"Muitas indústrias não têm plano estruturado e alinhado à estratégia da empresa para definir as decisões de compra de tecnologia. As ferramentas são compradas de formas isoladas para resolver problemas pontuais, ou seja, são soluções que não se conversam e são poucos aproveitadas, pois não houve uma análise prévia de ganhos reais", acrescenta Cisnandes.

A proposta da Engineering é levar aplicações de tecnologias para a digitalização em todos os elos da cadeia, como planejamento e controle das atividades da equipe de campo, visão centralizada da logística e qualidade da matéria-prima, interação da indústria com o produtor e relacionamento com o consumidor final (direto ou por meio dos varejistas) ou mesmo em funções de backoffice. "Estamos diante da mola propulsora do processo de Transformação Digital da cadeia do leite em todos os âmbitos, desde o campo (fazenda), passando pela logística, indústria, processo de produção industrial e distribuição até chegar no varejo", comenta Cisnandes.

A empresa atua frequentemente na análise de processos e tecnologias para alinhá-los aos objetivos de negócios. Ou seja, o ponto de partida é sempre entender os objetivos estratégicos do negócio, como aumento da produtividade, melhoria da qualidade, diminuição de custos, aumento de eficiência operacional, alavancar projetos estratégicos, integridade e confiabilidade de dados e preparação para predição de falhas, entre outros.

Uma vez alinhados aos objetivos e prazos do negócio, usando metodologias ágeis nas entrevistas e mapeamentos dos processos, a Engineering estabelece, por meio de uma rota de ações e matriz de maturidade, quais são os próximos passos a percorrer para a transformação digital de toda a cadeia produtiva do leite.

A ideia é que, para cada processo de negócio, a escolha adequada de tecnologias, como Inteligência Artificial, Machine Learning, IoT, Data Analytics, Drones e Robôs Colaborativos, entre outras, somadas às informações estruturadas, sejam a base para tomada de decisões no negócio. O maior ponto de atenção desta iniciativa é que as decisões passem a serem tomadas a partir de uma análise com visão de curto, médio e longo prazos, promovendo ganhos efetivos rumo à Transformação Digital e à Indústria 4.0.

Deixe seu comentário