FICO faz parceria com a 41st Parameter para reduzir bloqueios de transações online

0
0

A FICO, empresa de softwares de análises preditivas e de gerenciamento de decisões, firmou uma parceria com a 41st Parameter, empresa do grupo Experian, para combater fraudes em transações sem uso de cartão físico (cartão não presente), a principal fonte de fraudes de pagamentos com cartão atualmente.

A FICO está integrando a solução TrustInsight, da 41st Parameter, à plataforma Falcon, da FICO, que protege 2,5 bilhões de contas de cartão, sendo utilizada por mais de 9 mil instituições financeiras ao redor do mundo. Com a integrgação o dispositivo que está sendo usado em uma transação oferece mais uma camada de detecção para a Plataforma Falcon, que inclui análises próprias baseadas em mais de 30 patentes.

Uma pesquisa da FICO revela que o total de fraudes de cartões cresceu 13% nos EUA de janeiro de 2012 a setembro de 2013. Fraudes em transações sem uso de cartão físico foram responsáveis por praticamente metade das fraudes de cartão de crédito e débito durante este período.

A solução TrustInsight da 41st Parameter oferece análise em tempo real de transações, baseada em crowdsourcing de uma rede de comerciantes, que gera um TrustScore indicando se a transação provavelmente é genuína e deve ser aprovada. O TrustInsight ajuda a reduzir o número de "falso-positivos", ou transações boas que são rejeitadas ou investigadas pelo emissor do cartão. O TrustScore, integrado à Plataforma Falcon de Gerenciamento de Fraudes, fornece uma ligação entre as informações que o comerciante possui para permitir que os emissores utilizem informações adicionais que não estão atualmente disponíveis em seu processo de detecção de fraudes, incluindo a identificação dos "dispositivos de confiança" do portador do cartão.

Por exemplo, se o portador de um cartão está em férias e tenta comprar uma passagem aérea online, a análise pode classificar esta transação como suspeita caso o local e o valor sejam incomuns para o titular do cartão. O TrustInsight poderia identificar se, de fato, o portador do cartão estava usando seu próprio telefone celular para realizar a transação, o que torna a transação muito mais provável de ser genuína.

"O futuro dos pagamentos é através de dispositivos móveis e online, onde não há cartão físico", afirmou TJ Horan, vice-presidente de soluções antifraude da FICO. "Integrar a tecnologia TrustInsight da 41st Parameter à plataforma Falcon da FICO permitirá aos emissores aumentar o índice de aprovação, e as respectivas receitas de transações sem uso de cartão. Com ele, acreditamos que os emissores poderão recuperar mais de 30% das transações rejeitadas por motivo de suspeita de fraude e que na verdade são falso-positivas. Todo o ecossistema de comércio eletrônico será beneficiado, inclusive com uma melhora significativa na experiência do cliente, maior confiança por parte dos consumidores, e aumento de faturamento para os comerciantes e emissores."

"A maioria das empresas não conhece seus clientes eletrônicos e, se você não consegue reconhecer seus clientes, como você vai poder autorizar transações?", disse Ori Eisen, fundador e diretor executivo de inovação da 41st Parameter. "A tecnologia avançada da 41st Parameter oferece aos clientes da plataforma Falcon da FICO, e seus titulares de cartão em todo o mundo maior proteção contra a maior ameaça de fraude com cartões da atualidade. O compromisso da FICO de buscar e incorporar as soluções mais inovadoras em seus produtos é parte integrante de sua reputação no mercado."

A FICO foi considerada uma empresa líder em soluções da mais alta qualidade para gerenciamento de fraudes comerciais de acordo com relatórios recentes da CEB TowerGroup, Forrester e Chartis.

No Brasil, as soluções da 41st Parameter são oferecidas com por meio da ferramenta Safety, que traz segurança a interações não presenciais para detecção de fraudes transacionais como no e-commerce, solicitações de cartão de crédito e abertura de conta via web ou no Internet banking, entre outros. Por ser uma plataforma de decisão, ela avalia, em tempo real, fatores de risco como a reputação do dispositivo que acessou a conta, as informações cadastradas da proposta, o comportamento do usuário que está fazendo a proposta e diversos outros sinais de atividades que não são usuais.

Deixe seu comentário