Plataforma das operadoras para medir isolamento social gerou 1,3 milhão de índices

0
53

Durante oito meses de operação, a plataforma Big Data Mapas de Calor, criada pelas operadoras móveis de telecom para auxiliar no combate à Covid-19, gerou 1,3 milhão de índices de isolamento social. Por dia, a plataforma trabalhou com mais de 1 bilhão de registros feitos pelas 106 mil antenas de celular das operadoras.

A plataforma, que está em operação desde abril deste ano, conta com a parceria das empresas Hugtak, Imagem/Esri, e Microsoft, que oferecem de forma gratuita a ferramenta aos governos e prefeituras que aderiram ao projeto. Essas empresas atuam na coleta, tratamento, processamento, armazenagem em nuvem e aplicação de georreferenciamento, produzindo os mapas de calor e os índices de isolamento e aglomeração.

"Essa parceria foi fundamental para que as informações das antenas de celular das operadoras fossem organizadas de maneira a permitir às autoridades uma leitura atualizada da situação e a definição de ações de enfrentamento à pandemia, tudo de forma gratuita", comentou o presidente executivo da Conexis Brasil Digital, Marcos Ferrari. A Conexis coordena o projeto, desenvolvido pelas operadoras Claro, Oi, TIM e Vivo em conjunto com a ABR Telecom e com as empresas parceiras.

Os dados já foram utilizados por 17 estados e 22 municípios, que cobrem 90% da população brasileira, embora a ferramenta disponibilize os índices de todos os municípios brasileiros. Para continuar auxiliando as autoridades, o projeto, que inicialmente se encerrava em setembro, foi estendido até 31 de dezembro deste ano.

A plataforma começou sua operação medindo os índices de isolamento social, fornecendo dados diários sobre o cumprimento da quarentena. Em julho, a ferramenta evoluiu para a identificação de pontos de aglomeração de pessoas, aumentando a granularidade e permitindo a visualização de bairros e zonas específicas.

A plataforma usa dados estatísticos, agregados e anônimos, a partir da quantidade de celulares que estão conectados a uma determinada antena. Além de não se tratar de dados pessoais, as informações seguem estritamente a legislação aplicável, inclusive a Lei Geral de Proteção de Dados.

Pode ter acesso à plataforma, que está disponível para estados, capitais e municípios com mais de 500 mil habitantes, os governantes assinaram com as operadoras acordo de cooperação técnica. Essa medida se soma a inúmeras iniciativas do setor de telecom, que tem sido vital no enfrentamento à pandemia e essencial para a retomada da economia.

 

Deixe seu comentário