TI INSIDE Online -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Levantamento traça perfil de startups do setor de propaganda e marketing no Brasil

Postado em: 04/10/2019, às 13:02 por Redação

Se antes as empresas não podiam abrir mão do investimento em propagandas em TV, jornais e revistas para conquistar novos consumidores, hoje é preciso ir além e caminhar em direção à digitalização. Os avanços tecnológicos criaram um mercado ultra competitivo onde, mais do que nunca, compreender o indivíduo, suas necessidades e hábitos de consumo tornou-se regra essencial para oferecer-lhe o produto certo, no momento ideal — e consequentemente conquistá-lo. É para esse cenário que se volta a segunda edição do Distrito Adtech e Martech Report, levantamento realizado pelo Distrito, empresa de inovação aberta que atua junto a startups.

De acordo com o estudo, o Brasil conta hoje com 475 startups voltadas para a área de propaganda e marketing, das quais 263 surgiram nos últimos 5 anos. As empresas dividem-se em quatro grandes segmentos: Advertsing & Promotion (27,3%), formado por empresas que desenvolvem soluções para promoção, divulgação e exibição de marcas, produtos, serviços e campanhas; Content & Experience (21,8%), categoria com foco no desenvolvimento de conteúdos valiosos para atrair, reter e engajar o público-alvo; Commerce & Sales (28,6%), com soluções que recolhem dados e informações dos consumidores e, por meio de tecnologias como inteligência artificial, potencializam as vendas e, por fim, Social & Relationships (22,1%), voltado para empresas que desenvolvem soluções para áreas de relacionamento com clientes e marketing nas redes sociais.

A região Sudeste é a que mais concentra startups do setor: são 64,2% delas, frente a 28,9% no Sul, 3,6% no Centro-Oeste, 2,8% no Nordeste e apenas 0,2% no Norte do País. São Paulo é o Estado com maior densidade, 48,6%, seguido por Santa Catarina, com 9,8%, e Rio Grande do Sul, com 9,4% das empresas.

"Poucos setores foram tão afetados pela revolução digital quanto as áreas de marketing, mídia e publicidade. Se por um lado temos uma infinidade de canais para que os profissionais da área passem suas mensagens, muitas vezes a baixo custo, inclusive, por outro, temos um mercado saturado, desafiado pelas constantes mudanças na Leis Gerais de Proteção de Dados e pelo avanço das melhores práticas de SEO. O período é bastante desafiador", comenta Gustavo Gierun, cofundador do Distrito.

Tamanho e visibilidade

Do total, 81,7% das empresas mapeadas têm de 1 a 50 funcionários, 8,3% entre 51 e 100 e 10,1% delas possuem mais de 100 colaboradores. A categorias que mais emprega é a Content & Experience graças a startups como Movile, Resultados Digitais e Rock Content.

Mesmo tendo com uma significativa parte das adtechs e martechs com poucos funcionários, a visibilidade que essas empresas possuem no LinkedIn é, em geral, superior à tendência traçada pela relação dessas duas variáveis em outros segmentos da economia.

Público-alvo

As startups de propaganda e marketing miram predominantemente outras empresas: praticamente 98% delas são B2B (Business to Business) e somente 2,2% são B2C (Business to Consurmer). Do total, 8% trabalham com os dois públicos.

Perfil dos sócios

Tal como ocorre em outros segmentos, a presença de mulheres entre os sócios das adtechs e martechs é ainda bastante desequilibrado: apenas 14,3% são mulheres.

Na média, uma startup do setor possui 2,93 sócios, nascidos majoritariamente no Estado de São Paulo (53,1%) e com idade entre 26 e 45 anos. 65,5% dos sócios possuem ensino superior completo.

Mortalidade

No segundo semestre de 2018, o Distrito lançou o primeiro estudo do setor. Na ocasião, eram 344 empresas mapeadas. Se por um lado tivemos um incremento de 38%, por outro, 52 (15,2%) das startups que integravam o levantamento anterior encerraram suas atividades ao longo do último ano.

Destaques e promessas

O estudo aponta ainda as startups mais relevantes do setor, considerando faturamento presumido, número de funcionários, visibilidade, investimentos e idade das empresas. São elas: In Loco Media, Printi, Brasil CT, Dotz, Méliuz, Neoway, Olist, Infracommerce, Pipefy, Resultados Digitais, Rock Content, Zenvia e Semantix.

Além dos destaques, o levantamento traz também as empresas mais promissoras, detentoras de soluções relevantes e já com um estágio avançado de tração no mercado. Zoom, Hi Plataforn, Inove, Exact Sales, Blinks, Hands, Take, Cortex, Geofusion, Scale e Rank MyApp integram esta lista.

O estudo traz ainda um panorama do ecossistema, cases de sucesso e os principais investidores de venture capital do setor, além de listar eventos que reúnem players diversos do segmento.

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Tags: , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)

Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial