Software: Startup cresce 300% no primeiro semestre de 2021

0
45

Desde que assumiram o comando da CBYK, na condição de Co-CEOs, em 2020, em meio à pandemia, Ricardo Lopes e Fabrício Visibeli transformaram a gestão da empresa de serviços de softwares. As vendas dispararam 300% no primeiro semestre de 2021, com a adoção da ideia de vender uma TI descomplicada.

"O setor de TI sempre se pautou na complexidade dos problemas e das soluções. No momento, isso já não faz mais sentido. Especialmente, nos últimos 10 anos temos notado uma espécie de democratização do tema. TI virou pauta de conversa da mesa de jantar, dos jovens na escola, em casa, de executivos nas empresas. TI ganhou outro status, agora é popular e faz parte da rotina de muita gente. O que estamos fazendo na CBYK é desmistificar e simplificar o assunto, convidando os clientes para essa nova maneira de pensar TI", diz Lopes.

De acordo com ele, a empresa deixou de lado o pensamento fabril e passou a priorizar o desenvolvimento do produto de maneira artesanal e descomplicada. Entendemos que o software pode ser construído de maneira diferente e personalizada, conforme a necessidade do cliente, a partir de análise minuciosa de cada empresa, olhando para elas como parceiras do negócio. "Nossa oferta de valor está na criação de soluções robustas, eficientes e com excelente custo benefício. Tudo feito de forma desburocratizada e ágil", completa Lopes.

Outro ingrediente que ajuda a explicar o desempenho da CBYK é o perfil dos executivos na gestão dos colaboradores, bastante orientado pela combinação da humanização das relações e das experiências profissionais de ambos no Brasil e em outros países. Lopes e Visibeli têm valorizado o diálogo, a troca de experiências e de conhecimento no grupo, que já conta com mais de 200 pessoas. Há um ano, eram apenas 40. "Enxergamos cada um deles como potencial sócio da empresa em até 10 anos. E eles sentem isso, correspondendo com entusiasmo aos estímulos do trabalho", explica Visibeli.

Aliás, a CBYK está desenvolvendo com a ajuda do fundo Seastorm Ventures, dono da consultoria, um novo modelo de plano de carreira e sociedade, que insere os profissionais da empresa no centro das estratégias de crescimento. "A TI do futuro dependerá, cada vez mais, de profissionais com perfis empreendedores, criativos, tomados pelo que chamamos internamente de sentimento de dono. Queremos tirar essa ideia do papel. Softwares são construídos por pessoas, que representam os nossos maiores e melhores ativos", declara.

Em um ano, o número de projetos na CBYK pulou de seis para 20. Para 2021, a expectativa é um aumento de 383% no faturamento, associado ao crescimento de contratações. "A partir dessa experiência de gestão mais humana adquirida na Espanha, juntamente com uma vivência de mercado na China, formulamos a estratégia de administração da empresa. Um desafio gigante para um mercado tão competitivo como o do Brasil", explica Visibeli.

Na visão dos empresários, a pandemia só acelerou a migração de muitas empresas para o mundo digital, e a missão da CBYK é mostrar que esse processo de transformação pode ocorrer de forma leve e customizada. Para os próximos anos, eles pretendem continuar crescendo de forma expressiva, lançar novos produtos, além de iniciar a internacionalização da empresa abrindo uma filial na Europa.

Deixe seu comentário