Instituto Votorantim vai investir R$ 20 milhões em startups de impacto socioambiental

1
8

Em uma ação que fomenta o desenvolvimento do ecossistema de negócios de impacto e no legado socioambiental dos investimentos, o Instituto Votorantim lança o fundo de impacto iV Ventures um dos primeiros do Brasil voltados para apoiar startups em fase inicial, o chamado early stage, quando as empresas encontram maiores dificuldades de financiamento — e de sobrevivência. Os recursos iniciais, de R$ 20 milhões, estão sendo investidos pelas empresas da Votorantim, incluindo o próprio Instituto.

O iV Ventures vai investir em negócios de três ecossistemas, todos fundamentais para o país: água e saneamento; economia de baixo carbono; e habitação de interesse social. Esses segmentos foram definidos porque são convergentes com as estratégias ESG de todas as empresas da Votorantim.

Os três segmentos foram escolhidos também considerando a escassez de capital semente disponível para essas áreas e a necessidade de impulsionar os ecossistemas, apoiando os empreendedores dedicados ao desenvolvimento de tecnologias disruptivas que podem contribuir para a resolução de problemas estruturais do Brasil.

Os investimentos serão feitos em startups que estão validando o seu product market fit. O iV Ventures pretende aportar um smart money, ou seja, para além do apoio financeiro, atuará na conexão das startups com o mundo empresarial e com as empresas da Votorantim, contribuirá para a construção das teses de impacto dos negócios, aproximará as startups apoiadas de atores relevantes do ecossistema e as apoiará em comunicação estratégica.

Além dos recursos financeiros, as startups receberão todo o apoio do Instituto Votorantim e terão à disposição avaliação técnica de impacto e em fortalecimento de reputação e comunicação.

Os investimentos do iV Ventures nas startups serão realizados ao longo de cinco anos, período esperado para o desenvolvimento dos novos negócios, com recursos das empresas Votorantim Cimentos, banco BV, CBA, Nexa, Votorantim Energia, Citrosuco e Altre, e pelo próprio Instituto. Os aportes serão realizados em duas fases, pré-seed e seed, e vão de R? 250 mil a R? 1,5 milhão por empresa.

Haverá métricas para calcular os impactos sociais e ambientais alcançados pelas iniciativas, e, com o desenvolvimento das startups, o retorno financeiro dos investimentos permitirá ao fundo reinvestir mais capital para continuar multiplicando o impacto socioambiental da iniciativa. A gestão desse processo será feita pelo Instituto Votorantim, e a expectativa é de que os primeiros investimentos sejam realizados em 2022.

Mais informações estão disponíveis no site da iniciativa

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário