Plataforma 55PBX investe no modelo "telecom as a service"

1
6

Uma solução de PABX de baixo custo, que dispensa equipamentos e linha telefônica, permite integração com todos os sistemas de vendas, CRM e atendimento e que pode receber chamadas em qualquer lugar do mundo. Essa é a proposta da 55PBX, empresa brasileira de "telecom as a service" que opera, ao mesmo tempo, como uma operadora de telefonia fixa e Internet e como uma plataforma totalmente baseada em APIs que oferece diversos serviços em nuvem. Com uma interface muito simples e amigável, para ser instalado e configurado pelo próprio usuário o sistema depende apenas de conexão na Internet e um computador.

A plataforma da 55PBX segue o caminho de empresas que diminuíram a burocracia para ampliar o acesso e otimizar serviços, trazendo impacto para o mercado. A empresa foi idealizada para acabar com contratos de longo prazo no segmento de telefonia empresarial. O contratante pode adquirir quantos números quiser direto no site, selecionar quais soluções mais se adequam ao seu perfil e cancelar quando achar necessário, sem multas e cobranças adicionais.

Criado em 2015 por Bruno Rodrigues e Renato Monfort, o negócio surgiu das lacunas identificadas pelos sócios com a BCR, contact center que alia tecnologia, atendimento e retenção. Para eles, faltava no mercado tornar a telefonia empresarial acessível a todos os perfis de empresa, sejam elas pequenas, médias ou grandes, além de melhorar a eficácia com a integração de APIs para automatizar contatos, aumentar receita e reduzir gastos.

"O telefone ainda é um meio importante de atendimento, mas pode ser caro e a qualidade nem sempre é satisfatória. Nosso objetivo era trazer mais recursos ao serviço de PABX e ao mesmo tempo simplificá-lo, desde a fase de contratação até a implementação. Com isso, conseguimos proporcionar uma redução de custos de até 75% para os nossos usuários, sem perder qualidade e capacidade", explica Bruno Rodrigues, co-fundador e CEO da 55PBX.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta para Isabel Medina Monfort Pires Cancelar resposta