SUSE expande versão do Linux Enterprise Micro 5.1

0
8

A SUSE anunciou o lançamento do SUSE Linux Enterprise (SLE) Micro 5.1, um sistema operacional leve e seguro desenvolvido para cargas de trabalho em contêiner e virtualizadas. O novo sistema adiciona funções como integração de dispositivo seguro e live patching, permitindo a modernização de cargas de trabalho com suporte para IBM Z e LinuxONE.  

O SLE Micro foi desenvolvido para possibilitar a escalada das operações, suportando planos de transformação digital – seja na ponta ou em implantações de ponta com mainframes – de forma que lhes permita fazer a transição dos designs de carga de trabalho monolítico para microsserviços em seu próprio ritmo. Eles podem começar com carga de trabalho em contêineres ou virtualizar suas cargas de trabalho legadas atuais e, em seguida, passar para cargas de trabalho em contêineres quando estiverem prontos, sem nenhuma alteração na plataforma do sistema subjacente.  

"O SLE Micro está se tornando rapidamente uma base crítica da transformação digital dos clientes, como evidenciado por um grande integrador de sistemas com base nos Estados Unidos que escolheu a SLE Micro para modernizar seus sistemas embarcados com um investimento de sete dígitos", disse Thomas Di Giacomo, chefe de tecnologia e de produto da SUSE. "Eles querem oferecer suporte a cargas de trabalho de contêiner em uma infraestrutura imutável que seja fácil de manter e atualizar, permitindo-lhes reduzir os custos de manutenção e modernizar sua infraestrutura de sistemas. Esta vitória, dentro de seis meses do lançamento do SLE Micro, ressalta a prontidão empresarial do SLE Micro, que é o resultado de décadas de componentes de tecnologia fortalecidos para empresas da família SUSE Linux Enterprise."  

O SLE Micro também está ajudando a expandir o alcance do SUSE em alguns de seus principais segmentos de foco da indústria, como telecomunicações e manufatura.  

"Uma das maiores empresas de telecomunicações do mundo vê a SLE Micro como uma nova possibilidade já que sua solução atual se estagnou ao longo de vários anos", disse Di Giacomo. "Para eles, o software de código fechado não é viável porque limita severamente sua capacidade de investir e inovar não apenas com software, mas também com hardware. O SLE Micro os ajudou a desbloquear o potencial de economia de custos do design de código aberto para software e hardware. Com o design de padrões abertos do SLE Micro, eles podem explorar o hardware comum de uma série de fornecedores e construir uma plataforma de software baseada em código aberto usando padrões abertos como Kubernetes com ferramentas de código aberto de sua escolha. Em última análise, eles esperam economias significativas em software e hardware, enquanto mantêm o controle total de sua estratégia e roteiro de tecnologia."  

O SLE Micro também torna mais fácil para organizações de todos os tamanhos adotar o Kubernetes porque ele foi projetado para funcionar bem com K3sSUSE Rancher (RKE2) ou distribuições Kubernetes de terceiros.  

"Como é evidente pelo amplo suporte para iniciativas da Arm, como Projeto Cassini, SOAFEE e o mais recente Projeto Centauri, estamos adotando a nuvem de software nativo hoje, a fim de ficar à frente dos requisitos de energia e desempenho em constante mudança de dispositivos de ponta e IoT", comenta Bhumik Patel, diretor de desenvolvimento de ecossistema de servidor, infraestrutura de linha de negócio da Arm. "Com a combinação do SLE Micro e K3s, o SUSE está fornecendo uma excelente plataforma para dispositivos embarcados baseados em Arm, casos de uso de ponta e aplicações industriais de IoT", completa.  

O SLE Micro, combinado com outras tecnologias SUSE tem como objetivo ser a base das cargas de trabalho de contêiner implantadas em todas as áreas de produção – ambientes de ponta, IoT industrial incorporada e uma variedade de ambientes de computação dentro ou fora do data center.  

Kara Todd, a diretora de Linux, IBM Z e LinuxONE da IBM, acredita que a adição do SLE Micro a seus produtos com suporte em IBM Z e LinuxONE demonstra uma priorização contínua de escolha pelas soluções da SUSE. "Esperamos que nossos clientes em comum apreciem a possibilidade de aproveitar as vantagens desta distribuição Linux imutável como um host KVM em sua pilha de execução segura, aproveitando a segurança e a confiabilidade que a plataforma IBM Z oferece."  

Novos benefícios importantes para o cliente contemplados pelo SLE Micro 5.1 incluem:  

Tempo de implantação reduzido e menos processos manuais com segurança de integração aprimorada por meio da integração segura de dispositivos. Usando o cliente de onboarding de dispositivo seguro integrado, provedores de serviços gerenciados (MSP) ou fornecedores independentes de hardware e software (IHV e ISV) podem enviar um dispositivo diretamente ao cliente final e remotamente onboard com segurança.  

Redução do tempo de inatividade dispendioso por dispositivo com live patch do kernel, permitindo que os patches de segurança sejam aplicados assim que estiverem disponíveis, sem esperar por uma janela de manutenção e sem parar o kernel em execução. Na ponta, isso atenua o alto risco de segurança de milhares de dispositivos que possuem uma vulnerabilidade de segurança ativa. 

Capacidade de modernização gradual de aplicativos em direção a uma arquitetura baseada em microsserviços. O SLE Micro, com seu tamanho reduzido, estrutura de segurança integrada e sobrecarga administrativa quase nula, oferece um excelente contêiner e host de virtualização para IBM Z e LinuxONE. Os clientes podem executar suas cargas de trabalho (em contêineres ou virtualizadas) de maneira ideal – com armazenamento mínimo, mais segurança e menos latência – no mesmo mainframe que armazena os dados essenciais da empresa. 

Deixe seu comentário